top of page

“Peça de Amar” é a primeira obra presencial do Pandêmica Coletivo Temporário de Criação. O espetáculo foi contemplado pelo edital Sesc Pulsar RJ 2022 e teve sua temporada de estreia em novembro no Mezanino do Sesc Copacabana.

A montagem inédita tem dramaturgia de Henrique Fontes e Vinicius Arneiro construída a partir do texto “Eu e Vc”, do dramaturgo potiguar Henrique Fontes, vencedor do prêmio Shell em 2019 por “A invenção do Nordeste”. A direção do espetáculo é também assinada por Vinicius Arneiro, indicado duas vezes ao Prêmio Shell – em 2007, por “Cachorro!”, e, em 2016, por “Os Sonhadores” –  e indicado ao prêmio Arte Qualidade Brasil de Melhor Espetáculo Musical e Melhor Direção em 2014 por “Cássia Eller – O musical”. 

“Peça de Amar” acompanha o relacionamento de Georges e Henfil – dois atores que vivem um amor intenso – desde o momento em que se conhecem, passando pelo atravessamento do HIV e uma relação sorodiferente. No espetáculo, o passado, presente e futuro da história de amor do casal tem suas fronteiras borradas. Os jogos de cena e de encenação buscam experimentar justaposições entre tempo e espaço e o pano de fundo é o cenário de um país em crise.

FICHA TÉCNICA:

“Peça de amar” – a partir do texto original “Eu e Vc”, de Henrique Fontes
Atuação: Juracy de Oliveira e Mauricio Lima
Direção: Vinicius Arneiro
Dramaturgia: Henrique Fontes e Vinicius Arneiro
Direção de produção: Paulo Mattos
Assistente de direção: Dominique Arantes
Direção de movimento: Marcia Rubin
Iluminação: Daniela Sanchez
Direção musical: Beà Ayòóla
Direção de arte e programação visual: Gabriel Vieira e Julia Vicente (Ambidestra Ateliê)
Produção Executiva: Naomi Savage
Filmagem, edição de vídeos e fotografia: Rodrigo Menezes
Operação e Técnica de Som: Renato Garcia
Operação e Técnica de Luz: Juju Moreira
Idealização: Juracy de Oliveira e Maurício Lima
Colaboração Técnica: Alessandra Augusta e Jeane Ataíde
Coprodução: Casa da Ribeira
Realização: Pandêmica Coletivo Temporário de Criação

 

bottom of page